terça-feira, 13 de junho de 2017

RESENHA DA LEITURA

Mitologia Nórdica

Autor: Neil Gaiman

Editora: Intrínseca

Páginas: 288

Nota: 4.9/5

Sinopse: Uma jornada da origem do universo até o fim do mundo.

Quem, além de Neil Gaiman, poderia se tornar cúmplice dos deuses e usar de sua habilidade com as palavras para recontar as histórias dos mitos nórdicos? Fãs e leitores sabem que a mitologia nórdica sempre teve grande influência na obra do autor. Depois de servirem de inspiração para clássicos como Deuses americanos e Sandman, Gaiman agora investiga o universo dos mitos nórdicos. Em Mitologia nórdica, ele vai até a fonte dos mitos para criar sua própria versão, com o inconfundível estilo sagaz e inteligente que permeia toda a sua obra. Fascinado por essa mitologia desde a infância, o autor compôs uma coletânea de quinze contos que começa com a narração da origem do mundo e mostra a relação conturbada entre deuses, gigantes e anões, indo até o Ragnarök, o assustador cenário do apocalipse que vai levar ao fim no mundo. Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heroicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas. “Mitologia nórdica” é o livro perfeito para quem quer descobrir mais sobre a mitologia escandinava e também para aqueles que desejam desvelar novas facetas dessas histórias.


Olá leitores, hoje tem resenha nova!!! Esse mês fiquei ausente por que eram muitos eventos literários e eu entrei em semana de avaliação. Mas as férias estão por vir e novas leituras também. A Resenha da Leitura de hoje é de um livro que li no começo do mês de Maio (sim, faz um tempinho) que foi Mitologia Nórdica, do Neil Gaiman.

Eu sempre gostei muito de todo tipo de mitologia, seja nórdica, grega, romana, maia e todas que façam com que desperte em mim a curiosidade. Quando vi esse livro lançado eu fiquei desesperada para ler e a Livraria Leitura me deu esse privilégio. Neil Gaiman já tem uma longa estrada de livros e fãs por todo o mundo e esse é seu livro mais recente, que já conquistou diversos leitores e eu não pude ficar de fora.

O livro é formado de contos, que são recontados no estilo de Neil Gaiman com excelência. O autor mostra desde o começo dos tempos até o fim, o Ragnarök, que foi uma descrição maravilhosa e impecável. Todos estamos acostumados com a visão “Marvel” da mitologia nórdica, isso será destruído com este livro e será maravilhoso. Existem dois tipos de deuses, os Aesir, que são os deuses guerreiros, como Thor, e os deuses Vanir, que cuidam da natureza, como Frey e Freya. Antes esses dois deuses eram rivais, mas agora eles selaram um tratado de paz. Como sempre os que mais se destacam são os guerreiros, com suas aventuras e de vez em quando burrices.

O livro fala através dos contos sobre o começo de tudo, como tudo foi criado por Odin e seus irmãos, mas para isso tiveram que fazer sacrifícios. Conta também como os mundos foram divididos e isso é fundamental para quem não conhece muito de mitologia nórdica. Como Thor conseguiu seu Mjölnir por causa de Loki. Mostra também o quanto Loki é inconsequente, irresponsável e é irmão de Odin e não de Thor.

Os contos que mais gostei foi: “Os filhos de Loki”, que fala como Loki teve 3 filhos que foram fundamentais no Ragnarök. “A Yggdrasill e os nove mundos” onde se explica os nove mundos. E também "o casamento incomum de Freya” onde Thor se veste de mulher.


Mas o livro foi finalizado incrivelmente bem com “Ragnarök: o destino final dos deuses”, que sem dúvidas foi o melhor conto de todos. O autor mostra como diversos fatores e deslizes dos deuses causou o fim dos tempos e trouxe a destruição para os mundos. E mesmo com tudo sendo destruído e sendo engolido por trevas a vida renascerá depois do fim.

Eu gostei MUITO desse livro, Neil Gaiman fez um trabalho sensacional, com uma escrita impecável com que fez eu querer ler cada vez mais. A descrição dos lugares e dos personagens faz com que o leitor se sinta dentro desse universo nórdico. Espero ler mais livros desse autor que já conquistou meu coração. Obrigada Livraria Leitura por esse livro MARAVILHOSO.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

RESENHA: ALUCINADAMENTE FELIZ

Alucinadamente Feliz

Autora: Jenny Lawson

Editora: Intrínseca

Páginas: 352

Ano: 2016

Nota: 3.9/5

Sinopse: Jenny Lawson está longe de ser uma pessoa comum. Ela mesma se considera colecionadora de transtornos mentais, já que é uma depressiva altamente funcional com transtorno de ansiedade grave, depressão clínica moderada, distúrbio de automutilação brando, transtorno de personalidade esquiva e um ocasional transtorno de despersonalização, além de tricotilomania (que é a compulsão de arrancar os cabelos). Por essa perspectiva, sua vida pode parecer um fardo insustentável. Mas não é.
Após receber a notícia da morte prematura de mais um amigo, Jenny decide não se deixar levar pela depressão e revidar com intensidade, lutando para ser alucinadamente feliz. Mesmo ciente de que às vezes pode acabar uma semana inteira sem energia para levantar da cama, ela resolve que criará para si o maior número possível de experiências hilárias e ridículas a fim de encontrar o caminho de volta à sanidade.

É por meio das situações mais inusitadas que a autora consegue encarar seus transtornos de forma direta e franca, levando o leitor a refletir sobre como a sociedade lida com os distúrbios mentais e aqueles que sofrem deles, sem nunca perder o senso de humor. Jenny parte do princípio de que ninguém deveria ter vergonha de assumir uma crise de ansiedade, ninguém deveria menosprezar o sofrimento alheio por ele ser psicológico, e não físico. Ao contrário, é justamente por abraçar esse lado mais sombrio da vida que se torna possível experimentar, com igual intensidade, não só a dor, mas a alegria.


Olá leitores!!! Hoje temos resenha de um livro diferente, não é fantasia, como costumo postar aqui. A resenha de hoje é sobre o livro Alucinadamente Feliz da autora Jenny Lawson, esse livro fala da própria vida da escritora, que têm vários transtornos mentais e ela mostra como lidar com os dela.

Alucinadamente Feliz é como se fosse uma autobiografia, mas não de uma vida toda, a autora retrata como são seus dias bons e como são seus dias lidando com esses transtornos. Logo no começo do livro ela fala como grande parte da sua vida ela apenas se deixou levar por esses problemas e como havia e ainda há dias que ela está tão deprimida que ela não sai da cama por dias, em um momento de sua vida ela decide que isso não vai mais abalá-la, ela decidiu ser Alucinadamente Feliz, com transtornos ou não.

Vemos que dia após dia ela tenta contornar esses problemas e ser feliz, mesmo que as vezes possa parecer impossível. O modo como ela mostra sua vida é extremamente hilário, sim gente, várias vezes me peguei rindo e pensando “eu não devia estar rindo disso”, mas é impossível se segurar.

A cada página era uma enxurrada de risadas, e a cada capítulo era uma compatibilidade diferente, teve muitas coisas que me identifiquei, situações engraçadas e alguns gostos em comum, como o amor por gatos. Jenny Lawson é uma pessoa sensacional, engraçada, loucamente feliz, mesmos em dias ruins ela não se deixa diminuir.

O livro é como se fosse um diário, Jenny fala como se sente em relação a diversas coisas, fala como é ter depressão e fala como é ser Alucinadamente Feliz apesar de tudo. Houve momentos que a leitura foi um pouco arrastada, mas teve outros que a leitura foi rápida e fluida. O livro não é continuo, os capítulos não têm nada a ver um com o outro é como se ela escrevesse quando tivesse vontade ou quisesse desabafar. No livro também tem várias imagens de coisas que ela acha interessante ou apenas por tirar fotos, como quando ela está vestida de coala ao lado de um coala.

O livro é uma ótima demonstração de como nada é tão ruim assim, todos podem dar a volta por cima e serem felizes. Ela mostra o quanto é importante ter alguém para conversar e desabafar, seja essa pessoa um amigo ou um psicólogo. Também é fundamental ver as pessoas ao nosso redor, observar e ajudar quem estiver precisando de um ombro amigo.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

RESENHA: ELEMENTAL

Elemental

Autora: Bianca Hubert

Editora: Independente

Pagina: 332

Ano: 2017

Nota: 3.5/5

Sinopse: Em Helementtarë, Reino dos semielfos, quando o Rei ou a Rainha decide deixar seu posto, eles invocam seus criadores – a Mãe Natureza e o Elemento Maior – para ajudarem na Seleção que elegerá o próximo monarca. Então, a Natureza escolhe dez semielfos e dez semielfas, que possuem um dos quatro Dons Elementais principais (Água, Fogo, Terra e Ar), presenteando-os com uma moeda dourada para indicar que foram selecionados.

Arwen encontrou essa moeda e nunca se sentiu tão perdida. A jovem semielfa órfã sempre achou que seu dom fosse Rocha, até que a Natureza a destinou àquele objeto dourado, convocando-a para a Seleção – o evento mais importante do Reino. Agora, além de precisar descobrir qual é o seu verdadeiro Dom Elemental, também terá de desvendar como encarar provas que nunca imaginou enfrentar, e quem sabe assim finalmente descobrir suas origens.


Olá leitores!!! Hoje tem resenha nova da parceira Bianca Hubert, autora de Elemental. O livro trata de um mundo místico, onde a Natureza e o Elemento Maior regem o mundo dos semielfos. Todos os personagens do livro tem um Dom Elemental, onde esse estabelece em como o semielfo irá ajudar e se encaixar na sociedade.

A história é voltada para Arwen, uma semielfa órfão de pai e mãe que ainda não se encontrou nesse Dom que lhe foi designado ainda na adolescência. Ela é aquela típica menina conformada com tudo, ela gosta de onde ela está, pensa que nada de revolucionário irá acontecer na sua vida, até que Arwen começa a ter sonhos estranhos com fênix e lírios, logo depois ela encontra uma moeda e todo o seu mundinho muda de uma hora para outra. 

A partir desse momento a história começa a acontecer rapidamente, ela é escolhida para participar da seleção que irá definir a nova governante do reino e terá que deixar tudo que ela conhece para trás, pelo menos por enquanto. Tudo o que ela quer é ficar com seus “pimpolhos” no orfanato, mas algo a puxa para essa nova aventura. Ao chegar lá já descobre que o dom designado para ela quando mais nova está totalmente errado, Arwen se sente perdida, sente falta dos seus amigos e de sua tutora, sente que algo está errado.

Em Elemental é possível ver o crescimento da personagem principal, antes uma menina conformada e depois uma garota com atitude e curiosidade de descobrir o seu passado, uma garota que corre atrás do que quer e não aguenta nada calada. Junto com ela, na seleção, há mais 19 jovens nobres que pretendem governar o reino, desses dezenove apenas dois se tornam realmente amigos de Arwen, Panthael e Aeron. Gente eu AMEI o Aeron com seu charme mas sem arrogância, mesmo sendo nobre ele se sente igual aos outros, nem melhor, nem pior, e com esse caráter ele irá ajudar Arwen em momentos difíceis. 

No começo do livro a protagonista é meio paradona, sem muita atitude e isso me incomodou muito, tive vontade de gritar "mana acorda pra vida", mas com o passar das páginas e com a mudança de ambiente ela se tornou forte. Tem muitas coisas no livro que nos fazem pensar, uma delas foi uma frase muito boa "Promessas são quebradas, e palavras são esquecidas. Porém atos ficam." O livro está repleto de frases e pensamentos assim. 

Se você gosta de livros agitados e rápidos, eu indico muito Elemental, pois tudo acontece muito rápido, mas de uma forma coerente e precisa. A descrição do mundo é muito boa, o livro explica a divisão social e como as coisas funcionam nesse mundo. O que me deixou muito curiosa foi a relação da Mãe Natureza com os semielfos, a misticidade me deixou muito envolvida e empolgada, foi a primeira vez que li sobre esse assunto em um livro de fantasia. Eu estou muito ansiosa pelo segundo e descobrir tudo o que aconteceu depois.

terça-feira, 11 de abril de 2017

RESENHA DA LEITURA

Jantar Secreto

Autor: Raphael Montes


Páginas: 376

Ano: 2016

Nota: 3/5

Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.


Olá leitores!!! Hoje tem resenha de um autor nacional que muita gente fala bem, a Resenha da Leitura é sobre Jantar Secreto do autor Raphael Montes. Eu já tive a oportunidade de conhecer esse autor quando ele deu uma passadinha aqui em Manaus, ele é muito simpático, atendeu a todos os fãs e autografou todos os livros dos leitores. Jantar Secreto é o primeiro livro que leio dele então vamos para mais uma resenha em parceria com a Livraria Leitura.

O livro fala de quatro amigos (Dante, Leitão, Miguel e Hugo) que saíram do interior do Paraná para ingressarem nas melhores faculdades do Rio de Janeiro e morarem juntos na metrópole da oportunidade. Como todo jovem eles aspiram os melhores dos sonhos, se formar em uma faculdade de renome, trabalhar na área de sua formação e ser rico, ou apenas ter dinheiro para fazer umas extravagâncias de vez em quando. Mas com o tempo e com a crise no país tirando os sonhos da população, os jovens não foram poupados, um emprego decente é um sonho distante, a convivência entre os amigos se torna cada vez mais conturbada, o dinheiro está cada vez mais escasso e a situação chega ao limite quando eles quase são despejados.

Para sair desse desespero eles começam a promover jantares secretos para clientes com gostos refinados, EXÓTICOS e ricos. Em apenas um dia o jantar já é um sucesso e esse novo empreendimento continua, mas o menu desses jantares não são tão fáceis de se conseguir, então tudo se torna mais difícil e isso tem que ser feito na discrição.

Gente fiquei chocada com esse livro, sério, eu nunca tinha lido um livro com essa temática. A história faz o leitor se pôr no lugar do personagem e pensar se realmente faria aquilo ou até onde você iria por dinheiro. É possível ver a transformação dos personagens, apesar de rápida é nítida, como jovens sonhadores em uma cidade grande e depois como profissionais frustrados e decadentes em busca de mais dinheiro.

O livro é narrado pelo Dante, um administrador frustrado mas que não aceita essa condição. Todos os outros personagens são descritos e avaliados segunda a visão de Dante. Eu gostei da narrativa, mesmo sendo na visão do protagonista a essência dos outros personagens não é afetada. Todos os personagens foram muito bem construídos, com as personalidades marcantes e bem definidas fazendo com que o leitor odeie alguns dos personagens, principalmente o Leitão.

Eu indico o livro pra quem tem estômago forte, as descrições de algumas cenas me deixaram enojada e agoniada, em alguns momentos tive que dá uma respirada para poder continuar a ler. A escrita do autor é muito boa, dá um orgulho quando leio um livro nacional com uma escrita tão evidente e marcante, mostra a personalidade do autor, como foi difícil e importante a construção de todo o enredo. Como na capa já diz o autor soube usar e abusar do humor negro, isso fica evidente em cada capítulo.


A edição me deixou muito satisfeita, as laterais são todas em vermelho, representando o sangue que há na história. Tem um capítulo inteiro mostrando o grupo de whatsapp dos amigos, com memes e até com as trolagens do corretor ortográfico. Eu indico muito esse livro, ele mostra até onde algumas pessoas podem ir pelo poder. Mas e você, até onde vai pelo poder?


Livraria Leitura
Local: Segundo piso do Amazonas Shopping
Instagram: Leitura

sábado, 8 de abril de 2017

RESENHA DA LEITURA

Pax

Autora: Sara Pennypacker

Editora: Intrínseca

Páginas: 280

Ano: 2016

Nota: 3.5/5

Sinopse: Uma história emocionante que vai conquistar crianças e adultos.

Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver “Pax” à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de “Pax”. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, “Pax” embarca em suas próprias aventuras e descobertas.
Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, “Pax” expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.
“Pax” emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.

Olá leitores!!! Hoje temos a nossa primeira Resenha da Leitura, que é patrocinada pela nossa parceira oficial: a Livraria Leitura. Agora, além dos eventos frequentes na Leitura, teremos a presença da livraria aqui no blog com várias resenhas parceiras. 

Agora vou ensinar a como se preparar para ler Pax, primeiro faça a sua comida da bad (sorvete, brigadeiro, pipoca...), depois vista seu pijama e fique no seu quarto, e por último e o mais importante separe aqueles lencinhos por que você irá morrer de chorar.
Gente eu não sei lidar com livros de animais, isso mexe com meu psicológico. O filme que acaba comigo é Sempre ao seu Lado, impossível eu não chorar do início ao fim.

Em Pax vemos a amizade entre um humano e uma raposa que sempre estiveram juntos desde que Peter, o menino da raposa, a resgatou ainda filho na floresta. Mas com o passar dos anos o mundo vai se tornando cruel e os humanos se tornam violentos, com a chegada da guerra o pai do menino o obriga a devolver Pax a natureza, mas é difícil esquecer uma amizade tão forte e verdadeira.

Pax sempre esteve assistido por seu menino e ele enfrentara os perigos da floresta e da guerra sozinho mas nunca deixando a esperança de que Peter ira voltar para busca-lo. Peter é levado para casa do avô e o seu pai vai para a guerra. Ele nunca se sentiu tão sozinho, sem sua raposa e sem nenhum dos pais.

Peter percebe que fez a pior coisa que alguém poderia fazer: deixar um amigo para trás, é nesse momento que ele abandona todo para ir em busca de seu amigo. Mas essa aventura não será fácil, um menino perdido na floresta em busca de sua raposa, boa coisa não irá acontecer.

Logo no primeiro capitulo as lagrimas já começaram a rolar, eu lia e ficava cada vez mais triste por eu nunca abandoaria um animal, eles são uma vida e quando o pegamos para cuidar é preciso assumir as responsabilidades. Quando eu percebi que o Peter iria deixa-lo eu fiquei com tanta raiva do pai dele, o Pax era o único amigo de Peter e até isso ele tirou dele. Durante todo o livro os capítulos são alternados entre Pax e Peter e isso deixou a história mais real, mostrando os sentimentos dos dois em paralelo.

Meu coração foi sendo partido a cada página e eu descobri que nunca mais vou ler um livro de animal na vida, eu não tenho estrutura emocional para isso. Com o passar das páginas o leitor vê como a amizade dos dois é muito forte e verdadeira, e que nem mesmo longe isso ira mudar. Nessa aventura tanto Peter quanto Pax iram amadurecer como homem e como raposa, eles iram descobrir quem eles realmente são e como tudo isso teve que acontecer para que eles crescerem.

Infelizmente, as vezes, amigos têm que se separar mas a amizade permanece a mesma quando eles se reencontram isso é a verdadeira amizade. Esse livro é uma lição de amizade, lealdade e de amor entre amigos, ou melhor irmão. Mesmo que esses se separem a amizade permanecera e novas amizades viram dos lugares mais inesperados.

A edição do livro está perfeita, capa dura, o que todo leitor gosta, a imagem da capa capita a essência do livro, como Pax fica a espera de Peter. A escrita da Sara Pennypacker é muito leve, eu acabei o livro rapidamente pois a leitura fluiu de uma maneira ótima. Recomendo muito o livro pra quem quer ler algo verdadeiro e de alguma forma real, que tenha uma mensagem, mesmo que seja um livro fictício.


 Livraria Leitura
Local: Segundo piso do Amazonas Shopping
Instagram: Leitura